O ÚLTIMO PORTAL – THE NINTH GATE

Diretor: Roman Polanski
Ano: 1999/2000

Sinopse: Uma espécie de caçador de livros raros, o inescrupuloso Dean Corso (Johnny Depp), faz de tudo, mesmo que sejam ilegalidades, para que lucre com suas caças. Sua vida muda depois que é contratado por um milionário, Boris Balkan (Frank Langella), para encontrar e analisar todas as 3 últimas cópias existentes do livro Os Nove Portais Para o Reino das Sombras de Aristide Torchia.

Classificação: Suspense/Thriller/Terror.

Disponível no Prime.

Bom, primeiramente, resolvi escrever uma sinopse breve e simples, pois não quero dar spoiler do filme. Acho que vale MUITO a pena os leitores irem atrás desse filme e assisti-lo.

O Último Portal é um dos meus filmes favoritos. Já perdi as contas de quantas vezes o assisti.

O filme se passa nos seguintes países: Espanha, França e Portugal. Só o clima Europeu do filme já é um diferencial, pois as filmagens são mais rústicas e nos entrega uma sensação diferente. Parece que o mistério é maior.

O andamento da história é perfeito, pois as coisas não acontecem depressa tornando o filme sem sentido e também não é lento demais a ponto de você ficar cansado de assistir. Polanski sabe dosar isso muito bem de uma maneira que sempre que aparece uma nova cena no filme, com certeza ela será interessante. Não existem cenas inúteis. Toda cena parece que tem um mistério e eu acho isso fantástico. Até cenas de sexo são mais discretas e fornecem informações ao espectador.

Agora falando da trilha sonora. Esse filme tem uma trilha sonora fantástica! Polanski contratou a Orquestra Filarmônica da Cidade de Praga, então imagina como é maravilhoso escutar a trilha sonora desse filme? E as composições no meio do filme que deixam um clima de mistério? É maravilhoso isso! Eu acabo roendo as unhas assistindo. Polanski sabe utilizar muito bem as músicas para dar um clima no filme. O cara é ótimo nisso!

Os efeitos especiais são meio xumbrega para a época, isso eu admito, mas não me incomoda em nada.

O assunto abordado gira em torno de rituais satânicos, seitas e conjuração. Mas da maneira que é abordado, é maravilhoso: um estilo refinado, evolto de cenários rústicos e muita música clássica. Afinal estamos falando de conjurações em livros antigos que datam de 1500 a 1700. Dessa maneira, o filme sabe balancear muito bem uma trilha sonora clássica com um assunto antigo, rústico. Tudo está muito bem balanceado: clima europeu, livros antigos, assuntos antigos e música clássica.

Como eu gosto muito desse assunto específico e desse clima europeu, acho que pra mim funcionou muito bem o filme, por isso que sou tão fã!

Agora falando rapidamente de atuações. Eu gosto muito das atuações de Johnny Depp geralmente (nesse filme inclusive). O que me incomoda as vezes nele é que as suas expressões são repetitivas em todos os filmes e as vezes me parece que lhe falta criatividade como ator. Mas, ao mesmo tempo, parece que isso é uma fórmula mágica, porque mesmo que eu ache que lhe falte criatividade, os personagens caem sempre muito bem nas histórias. Johnny Depp sempre escolhe esses personagens sombrios para atuar em filmes, acho que por isso que funciona tão bem.

Demais atuações não possuem destaques. São básicas e bem atuadas! Emmanuelle Seigner (a garota do filme que não tem o nome revelado), atua também muito bem e da um clima de mistério ferrado no filme.

Eu, como fã, super indico esse filme aqui. Só saliento que o andamento é mais lento e reflexivo. O terror é psicológico e construído com calma e maestria. Se vocês leitores tiverem acostumados com filmes de andamento rápidos e extrapolados, vão detestar O Último Portal.

Até.

By:

Posted in:


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: