NEKROMANTIK – PAVOROSO!

Ano: 1987
Diretor: Jorg Buttgereit
Gênero: Horror/Cult/Splatter/Perturbador

Sinopse: Nessa longa alemão, um jovem funcionário de um necrotério, completamente perturbado e colecionador de partes de corpos humanos, resolve levar um cadáver para casa e fazer uma sacanagem à três com sua namorada. O relacionamento caminha bem até que ele perde o emprego e ela o abandona levando embora o amado cadáver putrefado, deixando-o completamente desiludido e elevando sua alma psicopata ao extremo.

SPOILER: SIM!

Olá meus amigos fãs de horror, terror, sobrenatural e absurdos do cinema underground europeu.

Eu não sei porque eu me arrisco à assistir esse filmes absurdos. Depois acabo me arrependendo profundamente e com a mente perturbada por alguns dias. Por outro lado isso é bom, assim eu sei que não sou psicopata.

Primeiramente, eu vou dar muito spoiler aqui e contar exatamente como é esse filme para vocês. Dessa maneira, existem três possibilidades: ou você vai se espantar com as barbaridades e nem vai se atrever a assistir essa desgraça (boa escolha), ou vai ficar curioso e fazer pose de valente e acabar se ferrando depois (estou avisando), ou vai se interessar pelo assunto e correr para assistir (por favor, vá ao psicólogo e psiquiatra).

Por que darei spoilers? Porque esse filme simplesmente não agrega em nada na vida de ninguém a não ser encorajar os instintos de um psicopata  que ainda não floresceu. Se você é um desses, não vai nem se importar com spoilers. Inclusive, já deverá ter assistido esse filme.

Antes de falar da desgraça que é essa “obra”. Vou falar aquilo que se pode salvar dessa péssima experiência:

1 – A música tema principal da trilha sonora é muito boa. Dá um clima ferrado no filme e acaba ajudando a criar um clima de mistério na trama. Embora não tenha trama alguma.

2 – A única mensagem boa que eu concluí dessa joça é que um psicopata só para de ser um quando morre.

O filme começa com um casal dirigindo pela estrada, quando o motorista perde o controle e causa um acidente fatal, matando a si mesmo e sua mulher no banco do passageiro.

Aí que surge uma equipe do necrotério para fazer a limpeza da cena do acidente. No meio dessa equipe está o protagonista da história.

Primeiro ponto que percebemos é que embora as imagens sejam de uma época antiga, com um aspecto mais ancestral, a qualidade dos efeitos especiais e maquiagens são absurdamente perfeitos. Em um nível que parece que estamos assistindo um vídeo de morte real. Cheguei até a pensar se não eram cadáveres de verdade. Embora eu dei uma lida a respeito e me parece que utilizaram órgãos de animais para tornarem as cenas mais reais o possível. Mas isso não interessa. Basta que saibam que é visualmente impactante. E MUITO!

O protagonista, sem que ninguém saiba, leva sempre um suvenier (mãos, pés, olhos, coração, etc) dos locais de acidentes para a sua casa e os preserva em jarros de vidro com formol. Sua namorada, que é tão doente quanto ele, fica excitada com os presentes que ele leva pra casa.

Certo dia, a equipe do necrotério é chamada para desenterrar um corpo de uma cova rasa. Como o nosso lindo protagonista fica responsável por se desfazer do corpo, ele vê uma oportunidade e leva esse cadáver para sua casa e faz uma surpresa para sua amada.

Aí meus amigos… tem que ter estômago para encarar a cena a seguir. Um ménage a trois do casal com o cadáver. Uns 10 minutos de cena. Não acaba nunca aquilo. Vocês acham que o cadáver está em bom estado e é uma pessoa se fingindo de morta? Esquece! A capa do filme mostra exatamente o que é. O cadáver está em decomposição avançada (imaginem o fedô), grande parte dos ossos já estão expostos e a piroca não existe mais. “Mas como eles consegue fazem sexo com o cadáver sem piroca?” Muito simples: a moça que já está taradinha pelo pedaço de presunto estragado, pega um pedaço de cano de ferro, soca no meio das pernas do presunto, coloca uma camisinha (afinal precisa se proteger de doenças) e senta no bichinho sem dó. Eles beijam, lambem e chupam o cadáver sem dó em uma cena de revirar o estômago. Nosso protagonista se empolga e chupa pra dentro da própria boca um dos olhos que já está se soltando. Uhgggg! Após a bela cena de sexo, o casal frita um bifão suculento e almoça uma pratada que deixa o espectador com vontade vomitar logo após ter assistido ao pior show de horrores da face da terra. Perdeu a coragem de assistir né? Acho bom mesmo que perca!

Daí pra frente basicamente o que acontece é que o rapaz perde o emprego no necrotério. Afinal de contas ele é um sádico e os companheiros percebem isso quando encontram restos mortais em seu armário do serviço. Seu chefe manda ele embora. O rapaz chega em casa, conta para sua namorada que fica enfurecida com sua demissão. Humilha o rapaz e assim que fica sozinha pega as coisas, vai embora e leva o presunto junto, deixando somente uma carta de adeus.

O rapaz, que arranjou um gato para dar de presente para a sua linda amada, chega em casa e encontra o bilhete. Envolto em fúria pela sua desilusão amorosa, alimenta o gato com um dos órgãos preservados em formol, coloca o gato dentro de um saco preto e com um impulso de revolta bate com o saco nas paredes do apartamento e mata o coitado do bichano. Diferentemente da cena real de morte e escalpe de um coelho (é isso mesmo), a cena do gato não é real  e da pra perceber isso. Me deu um pequeno alívio, pois eu já imaginava que o coitado do gato iria sofrer. Afinal de contas quantos gatos já não sofreram na mão de psicopatas sádicos nesse mundo? (Assista don’t fuck with cats no Netflix).

Somente um adendo: a cena de morte do Coelho é COMPLETAMENTE desnecessária e só tem o intuito de causar um choque visual. Não é qualquer um que consegue ver um coelho ser cortado na jugular e morrer devagarosamente. Ainda está pensando em assistir? Pense novamente!

O rapaz toma um banho de banheira, se esfrega com a carne do gato e consegue provar que o filme tem capacidade de piorar a cada minuto que passa. Dando uma resumida, ele pega o carro, contrata uma prostituta de rua (uma coitada que simboliza a história de sofrimento de mulheres nas mãos desses infelizes), a leva para o cemitério para transar em cima de uma lápide e acaba broxando. A garota começa a rir da cara dele e no mesmo momento ele a pega pelo pescoço e a enforca. Quando a garota enfim morre, o rapaz transa com o cadáver, demonstrando que ele é um completo deturpado!

Acaba pegando no sono, no cemitério, ao lado do cadáver da pobre garota. É acordado pelo coveiro que fica chocado com a cena. No mesmo momento, o doido pega a pá do coveiro e corta o rosto do velho ao meio, na horizontal, numa cena de chocar o espectador. O velho cai sem a metade da cara, ainda emitindo sons de tortura e sofrimento. Inclusive, o filme é sonoramente impactante. Gritos de desespero e sons de torturas que não são fáceis de digerir.

Fim do filme com direito ao óscar de cena mais chocante da face da terra:

O rapaz, que já está numa completa fossa amorosa, pega uma faca, deita na cama, abre o zíper das calças, põe a piroca de mentira pra fora, começa a se esfaquear no estômago e ejacular ao mesmo tempo até sua morte. Se você ainda não perdeu a coragem de assistir, espero que tenha perdido agora. Daqui para frente é por sua conta e risco.

Agora vou falar a crítica que está engasgada desde ontem a noite. Faço questão de escrever isso! O filme enobrece a imagem dos psicopatas, inclusive mostrando fotos de Charles Mason no quarto do rapaz, ao meio de pôsteres de mulheres nuas. O psicopata se passa por um coitado e o diretor procura passar essa imagem de coitado para o espectador. O filme possui poucos diálogos e cenas inúteis (como a cena que um rapaz aleatório é morto por um tiro no pescoço dado por um imbecil bêbado que tentava matar pássaros que estavam sobrevoando), querendo causar uma sensação poética sobre o assunto, utilizando músicas com melodias impactantes. Eu achei isso tudo um ABSURDO! Esse filme foi proibido em vários países quando na verdade deveriam prender toda a equipe que se sujeita a passar uma mensagem absurda como essa para o mundo!

Sabemos que psicopatas, em sua grande maioria, sofrem abusos e maus-tratos extremos quando crianças e que isso influencia para que se tornem o que são. Mas esse próprios psicopatas, muitos deles, sabem que não podem conviver em sociedade e têm consciência de que fazem uma coisa ruim para outro ser humano. Um psicopata não tem empatia, não tem sentimentos, mas tem consciência do que está e sabe que está prejudicando outras pessoas!

Dado essa premissa, esse filme se torna um completo ABSURDO, DOENTIO e SÁDICO! Não deveria estar à disposição para qualquer um assistir.

Pessoas com tendências psicopatas não podem ser encorajadas a seguirem seus instintos. Deveriam ser encorajadas a buscarem tratamento psicológico e psiquiátrico! E essa merda de filme vai completamente contra essa premissa. Sendo assim…

Vale a pena? NÃO! Seco e frio.

Não se aprende nada com essa merda. Por mais que tentem justificar que existam elementos cinematográficos bem trabalhados, o que até pode ser que tenha, o assunto a que se refere o filme faz com que se perca tudo aquilo de bom que poderia ser proporcionado por uma obra bem feita.

Então a minha recomendação é: não assistam essa merda, a não ser que sua mente esteja 100% sã e que você queira se arriscar a ter alguns pesadelos por uns dias e que você não tenha mais o que fazer na vida.

Minha nota: 1 estrela podre.

E só tem 1 estrela pelo bom trabalho sonoro.

É isso! Tchau!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s