A BRUXA DE BLAIR 2 – LIVRO DAS SOMBRAS


Diretor: Joe Berlinger
Ano: 2000

Sinopse: Após o sucesso de bilheteria do filme A Bruxa de Blair, Burksville, Maryland nos Estados Unidos, se torna famosa e extremamente turística. Com isso um bando de jovens incrédulos contratam um guia local para adentrar a mesma floresta do primeiro filme e descobrir a veracidade da história.

Primeiramente, o filme não é bom, mas é assistível. O que quero dizer com isso? O filme possui várias falhas de cadência e edições, fora as atuações ruins, mas se esforça em entregar alguma história um mínimo interessante para o espectador.

Os personagens são: um casal especialista na Bruxa de Blair, o guia turístico que vive na cidade, uma gótica com supostos dons psíquicos e uma suposta garota bruxa praticante de wicca.

O filme se preocupa claramente com a época em que se passa e procura ser moderno e atingir o público da época. Nos anos 2000 os adolescentes se dividiam em tribos: tínhamos os playboys, os clubbers, góticos, metaleiros, bruxos, pixadores, e sei lá mais quantas tribos. E também aqueles que não sabiam qual tribo aderir e se dividiam um pouquinho em cada uma. Os personagens do filme espelham bem essa época. O que não é um problema na minha opinião.
É uma percepção minha. Posso estar errado.

Só sei que todo mundo é muito doido e descolado. Um bando de desocupados que não têm explicação. O intuito é atingir o publico da época. Diálogos como “as pessoas acham que tomo sangue porque sou wiccana” ou “de onde eu venho as pessoas acham que sou uma assassina ou algo assim, só porque me visto de preto” se encaixam perfeitamente com a época e o intuito é fazer uma crítica aos preconceitos da época. A crítica é feita com diálogos fracos e rebeldes, mas pelo menos o filme busca se adequar à sua época. O filme mostra que quer atrair o público jovem e claramente  ganhar grana em bilheteria, pois nessa época a molecada adorava ir no cinema assistir um terrorzinho. E eu me incluo nessa molecada.

Sendo assim, o filme faturou uma grana com bilheteria e caiu no esquecimento, afinal ele não foi feito para entrar na história…

E há pessoas que acham que essa segunda parte é melhor que o primeiro filme! Santa heresia! Com certeza farei um post específico para o primeiro A Bruxa de Blair para explicar porque esse filme é tão bom. Mas não é o assunto agora…

Continuando…

Não darei spoilers do filme, pois ainda acho que vale a pena assistir e vou explicar porque.

O filme procura manter a origem do primeiro filme e mescla a gravação found footage com filmagem clássica de cinema, tentando (mas não conseguindo) ser inovador. O que ocorre aqui é que a equipe atira pra todos os lados para ganhar uma grana. Tá na cara. Já até imagino:

Toma 15 milhões de dólares, uma ideia inovadora de sucesso do passado e dá um jeito de triplicar esse valor pelo menos“.

Quando qualquer coisa na vida do ser humano é feita somente com o intuito de ganhar dinheiro, pode ter certeza que essa coisa vai ser mal feita, uma propaganda enganosa. Bruxa de Blair 2, o livro das sombras, não passa de um conjunto de facas ginsu cinematográfico.

Mas eu sou bonzinho, dou porrada e faço carinho, pois sempre procuro ver o que da pra extrair de bom nos feitos humanos.

Mas ainda me pergunto: que diabos é esse livro das sombras? Será que eu não prestei atenção? Pode ser… se alguém souber me fale.

Falando do que eu achei bom? Eu achei o final interessante. Achei que buscaram um final que não fosse tão clichê hollywoodiano. O final alimenta a ideia de que você justificou seu tempo mal gasto assistindo o filme. Outra coisa legal é que não mostram uma imagem da Bruxa, o que eu achei ótimo! Porque a sacada dessa história é o mistério de nunca saber mesmo se é ou não uma bruxa ou um espírito ou sei lá o que. É legal não saber o porquê as coisas acontecem, que força está por trás de tudo aquilo. Enfim… o mistério continuou no ar!

Daí em 2015 vem um novo Bruxa De Blair e termina com toda a história mostrando uma bruxa que parece mais uma múmia voadora. Ai meu Deus…


As atuações? Desculpe, mas TODAS as atrações são ruins! Acho que os personagens estipulados não ajudam os atores e o roteiro também não. As falas são horríveis! E os atores também são ruins. Acho que economizaram no elenco para maximizar o lucro do filme.

Colocaram algum babaca corporativo para minimizar a arte de se fazer um filme e transformar o filme numa máquina lucrativa. Da até raiva só de pensar nisso.

Bom. Em respeito aos profissionais da equipe, mesmo que fracos ou desencorajados pelos fins lucrativos, eu indico que assistam o filme e me digam o que acharam.

Não é vergonha gostar de um filme ruim! Eu mesmo gosto de vários. E confesso que gostei na época desse filme. Eu chamo de prazer culposo! Muitos filmes, músicas, séries e livros, por mais que sejam ruins, eles tem a mágica de marcar um momento na nossa vida. E isso é insubstituível! Portanto uma análise técnica do filme não é uma verdade absoluta. As vezes, inexplicavelmente gostamos das coisas e como seres humanos temos todo o direito de gostar e não saber o porque. Mas em contrapartida eu defendo que o ser humano deve evoluir e extrair aprendizado de tudo que vivencia para se tornar uma pessoa melhor! E esse filme não ajuda muito nesse quesito rs.

Lembrando que os meus artigos apresentam a minha opinião e que sempre faço minhas brincadeiras (tipo o Santa Heresia que falei mais pra cima e o post inteiro do filme Countdown rs). Quero que saibam que tenho o maior respeito pela opinião alheia e que não sou e NUNCA serei o dono da verdade, mas espero sempre influenciar o leitor positivamente.

Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s