COUNTDOWN – A HORA DA SUA MORTE

Diretor: Justin Dec

Ano: 2020

Sinopse (por Bruce Clark):
Jovem enfermeira Quinn Harris (

Elizabeth Lail) se depara com um paciente que afirma saber o momento exato de sua morte ditado por um aplicativo (countdown) de celular. Comentando com seus colegas de trabalho, todos resolvem baixar o aplicativo, certos de que não passa de uma brincadeira, porém somente com ela o aplicativo afirma que sua morte ocorrerá em 2 dias. Com a morte do paciente confirmada no horário exato do aplicativo, a enfermeira entra em pânico e tem que lutar para salvar sua vida em dois dias.

Classificação: Terror/Comédia.

Atenção: possui spoilers.

Análise/Crítica (por Bruce Clark):

Seguinte… estou ansioso para falar sobre esse filme.
Primeiramente, eu classifico esse filme como uma comédia terror. Portanto se o filme se propôs a ser uma comédia terror (ou terror comédia) nesse caso eu achei o filme bom, pois dei umas risadas e teve seus momentos engraçados que valeram a pena. Agora se o filme não se propôs a ser comédia e somente terror, aí o filme é uma merda, porque eu dei risada e não fiquei nada assustado.

Eu digo isso, pois o filme começa com um clima de terror clichê, sem indicar que é uma comédia e fica sério por um bom tempo até que de repente parece que dão o roteiro para um adolescente de 15 anos terminar de escrever.

A história é a seguinte. SPOILER ALERT!

Tudo começa com uma festa de adolescentes típica americana com copos de plástico vermelhos com o interior branco (manja?). Já me incomoda aí o filme, não por causa da festinha adolescente na casa de fulano e nem por causa do copo. O que me incomoda é que tem certos filmes que eu não sei porque raios as pessoas não podem gravar uma cena com o copo cheio (seja lá qual for a bebida)? Põe água porra! Agora fingir que está virando cerveja com copo vazio me dá raiva! O ator pega o copo e da pra saber que está vazio! Da pra saber… ele pega o copo como se fosse uma folha de papel! É uma droga de uma falha de ambientação e isso já me diz de começo que o filme vai ser ruim. Já começou com o clichê da festa adolescente típica americana… Já sabe né?

Bom, mesmo assim, já assisti MUITOS filmes ruins e até piores, então…

Continuando, nessa festa basicamente tinha uma mesa com meia dúzia de adolescentes com cara de merda, um deles fala de um aplicativo de celular (não é o aplicativo principal do filme ainda) e uma menina do grupo se interessa e pega seu celular para procurar esse aplicativo, mas a jumenta escreve errado ou sei lá o que acontece que aparece esse aplicativo que se chama countdown e ela mostra para outra amiga para confirmar se ela tinha encontrado o aplicativo correto. Claro que a amiga da jumenta fala que não é aquele aplicativo. O povo da mesa fica curioso e pergunta sobre o que é esse aplicativo countdown. A jumenta fala que… (na verdade nem me lembro se é uma jumenta ou um jumento) é um aplicativo que fala a data e hora de quando você irá morrer.

Os retardados adolescentes que compõem a mesa ficam com fogo no cu e resolvem baixar esse aplicativo e fazer uma brincadeira de vira vira (de copo vazio, mas o diretor pensa que a gente é idiota e vai achar que o copo está cheio), onde quem tiver menos tempo de vida ditado pelo aplicativo, terá que virar os copos de todas as pessoas da mesa.

Agora, eu não sei qual o problema que os produtores de filmes americanos tem com loiras e acham que elas são estúpidas. Porque nesses tipos de filmes sempre tem que ter pelo menos uma loira. Até aí beleza. Mas ela sempre tem que ser burra. É ofensivo inclusive. Mas não estou aqui pra discutir direitos humanos…

Prosseguindo… uma garota loira da mesa perde a aposta (ela nem queria entrar na brincadeira porque logo de começo ela já tava se cagando de medo desse aplicativo). No aplicativo diz que ela iria morrer em 2 horas acho… por aí. Daí a galera tira um sarro da cara dela e entregam todos os copos cheios (sei…) para que ela vire. Nisso aparece seu boy, salvador das barbies indefesas e pega os copos e vira para salvar sua girl. Owwwww.

Corta a cena… e aparece o casal entrando no carro para ir embora. O boy mais mamado que filhote de vaca querendo voltar dirigindo, mas a girl tá toda cagada por causa do aplicativo  e fala pro boy: “deixa o carro e vamos a pé”, mas o boy é macho pra caraio e fala: “girl deixa disso, eu dirijo melhor quando eu tô bêbado”… ele não fala “girl” mas o resto eu juro que ele fala…

E ainda zoa com a girl: “você tá se cagando por causa do aplicativo? Ah vá!”.

A girl fica sem graça, fala que não, finge demência e insiste em ir a pé.

É claro que o boy cheio das testosterona fica putinho, sai arrancando o carro e larga a girl sozinha a pé.

Agora é que começam as burrices. A girl sai andando e um vulto aparece seguindo ela, mas esse vulto entra num carro e sai andando com o carro… É tudo muito confuso e não da pra entender direito. Só sei que ela andou, sei lá, só um quarteirão e chegou em casa. Se a festa era logo ali, pra que ir de carro?

Ela corre pra porta da casa com a câmera a seguindo, dando aquela impressão de que tem alguém correndo para pegar ela antes que ela consiga abrir a porta de casa, manja? A acéfala, desesperada, deixa a chave cair no chão quando está tentando abrir a porta… Daí você espectador, de saco cheio dessa cena que acontece em 99,9999% dos filmes de terror hollywoodianos, pensa: “Ah morre logo, vai porra”…

A girl morre? Claro que não! Ela consegue entrar e ainda espia por cima da porta, onde tem vidros enfeitando o parapeito, para ver quem supostamente a estava seguindo… tinha alguém? Claro que não! O filme tem que manter a tradição dos outros 99,9999%!

Daí ela vai pro banheiro. Você pensa, meu ela vai tomar um banho porque já se cagou inteira né… Mas não, ela vai lá se admirar no espelho e olha no aplicativo quanto tempo ela tem de vida… restam-lhe somente alguns minutos. Aí para manter as tradições terror Hollywood ela acha que tem alguém atrás da cortina da banheira (uau, cena inovadora) e ela vai com aquele clima de suspense (nessa hora você já tá de saco cheio e só se passaram 10 minutos de filme) e abre rápido a cortina. Pergunta: tem alguém atrás da cortina? Nem fodendo! O demônio podia se irritar e dar uma machadada na fuça da acéfala, mas não… temos que manter as tradições certo?

Ufa… não tem ninguém. Cagou mais um pouquinho… Nesse momento a girl tá anemica e desidratada de tanto que já cagou nas calças!
Mas ela não liga o chuveiro pra se lavar… Ela se olha de novo no espelho! Afinal ela é linda e fez chapinha porra… tem que se admirar!

Mas logo ela percebe que a cortina da banheira, que ela havia deixado aberta, se fechou sozinha (o demo curte dar uma trolada nas acéfalas tá ligado? Ele é do mal). Mais bosta nas calças…

E ela olha pro celular que dá uns piripaque e faz uns barulhos doidos e sei lá… de repente um ser ou algo puxa ela pro teto e taca ela na banheira. Ela arregaça a cabeça na borda da banheira e morre. Cheia de merda nas calças…

E você nessa hora já está… mano esse filme vai ser uma merda…

Eu descrevi a cena, mas não lembro exatamente todos os detalhes, mas basicamente é isso, se ela não se olha no espelho ela está tomando um copo de água que ela pegou da torneira da pia do banheiro… algo assim. Mas é essa merda que acontece.

Agora um dos maiores absurdos: em paralelo com a morte da girl, o boy prova que estava mamado e consegue bater o carro numa árvore provando que ele é um acéfalo igual sua companheira. Um tronco de árvore perfura o vidro do carro e rasga o banco do passageiro do lado, provando que a acéfala morreria de qualquer jeito!

O que vocês não sabem é que os imbecis que baixam o aplicativo tem que concordar com os termos do aplicativo. E digam-me: existe algum ser humano (eu inclusive) que vai gastar seu tempo precioso de vida lendo 45 páginas de termos e condições de uso de um angry birds, por exemplo? Claro que não porra! Você tá com fogo no cu pra jogar! Se o jogo falar nos termos e condições que para jogar angry birds você tem que comer gronha preta acumulada debaixo de unha de mecânico, você aperta ok e foda-se, é ou não é?

Pois é isso que a galera faz no filme… baixa o aplicativo e fodam-se os termos e condições de uso… não que isso faça diferença no filme, porque independentemente dos termos e condições, você vai se foder no tempo que o aplicativo te der de vida. O que os termos e condições falam, e o filme fica te dando chá de sofá para revelar, é que se você mudar o seu destino por conta do aplicativo, você vai se foder do mesmo jeito. Então qual o sentido dos termos e condições? Te deixar mais puto ainda com o filme! Se fosse para ser engraçado isso, beleza! Mas o filme não caminha para o lado da comédia nesse momento, ou fizeram comédia nessa hora e eu não entendi a mensagem…

Mas o maior absurdo do acidente do boy é: “mano, se a mina caminhou 1 quarteirão para chegar em casa, como esse imbecil conseguiu bater o carro numa árvore e se espatifar inteiro?”

É uma galhofa mesmo!

Dando continuidade….
O boy vai parar num hospital e vai precisar de uma cirurgia. Nisso o imbecil já está todo deprimido com a morte da sua companheira acéfala e já havia baixado o aplicativo (pq???) e viu que também tinha pouco tempo de vida e deduziu que morreria na cirurgia. Afinal 2 + 2 é realmente 4 se considerarmos a gravidade terrestre.

Nisso aparece a nossa heroína do filme! A enfermeira estagiária (nesse momento ela ainda é estagiária) que está cuidando do boy. Ela percebe que o boy saiu do quarto dele, onde ele deveria estar…
Ele saiu do quarto porque precisa de um momento sozinho… Mas só tinha ele no quarto kkkkk. Não tem sentido nenhum…
Bom, ele saiu do quarto e foi para uma parte do hospital que estava em reforma e ficou parado em frente à uma janela olhando pra rua… O maluco nem foi fumar um cigarro. Se fosse isso ainda justificaria ir para a parte em reforma cheia de amianto cancerígeno…

A hero of the day vai atrás dele dar conselhos psicológicos para a cirurgia, como se ela já fosse enfermeira sênior manja? Daí ele fala pra ela que sabe que vai morrer, mostra o aplicativo pra ela, ela não acredita e ri da cara dele achando que ele é retardado, mas ele fala que a girl dele morreu e explica toda a história que eu expliquei até agora e a hero fica meia assim e da uma leve cagadinha nas calças também.

Resumindo… O boy fica todo cagado também e tenta fugir da cirurgia entrando na escada do hospital que se fecha e tranca ele. Nisso aparece uma mensagem no celular falando que ele quebrou as regras dos termos e condições (que ninguém vai ler kkkk) e que ele vai se foder do mesmo jeito,  no mesmo horário…
O fantasma cagado da girl aparece na escada e mata o boy! Ufa!

Em paralelo, a hero comenta a conversa que teve com o boy com os amigos de trabalho dela. O que os imbecis decidem fazer? Vamos baixar esse aplicativo galera!!!
Uhuuu!

Todo mundo baixa o aplicativo, inclusive a hero. Todo mundo descobre que vai morrer na velhice aproveitando bastante a vida regada a putaria e álcool. Todo mundo, menos a hero que se fode e descobre que vai morrer em 2 dias. Mais merda na calça da garota nesse momento.

A hero fica encucada pra caraio… corre no necrotério com o celular do boy e usa a face moribunda do boy para desbloquear o celular e constata aquilo que todo mundo já sabia… O aplicativo funcionou mesmo! O boy morreu e o cronômetro do aplicativo na tela do celular dele estava zerado! Mais merda nas calças da coitada.

A hero vai pra casa, fica toda cagada e resolve quebrar o celular dela, mas o aplicativo é sobrenatural porra… ele continua funcionando mesmo com o celular pisoteado. A hero joga o celular no lixo e vai para uma loja comprar um celular novo.

Caros leitores, até o momento o filme foi sério. Pelo menos pra mim foi sério. Daqui pra frente não sei o que aconteceu, mas acho que o roteirista começou a tomar êxtase e injetar red bull fervendo na veia. E deu certo! Porque o filme ficou engraçado. Eu achei pelo menos…

O dono da loja de celulares tirava uma com os clientes e o ator foi muito engraçado. Essa cena vale muito a pena assistir!

Enfim, a hero pede pro cara da loja um celular qualquer novo, com número novo e chip novo. Em 2 SEGUNDOS o cara faz isso pra ela! Mano, 2 SEGUNDOS!!!! Eu vou na vivo perguntar quanto custa um celular e saio de lá depois de 3 horas!

Foi foda ver isso…

Continuando… a hero vai em direção a saída da loja toda feliz e assim que chega na porta da loja popapa (verbo derivado do pop-up, entendeu?) uma mensagem na tela do novo celular dela falando: aplicativo countdown instalado com sucesso.

A hero azeda e vira no Jiraya! Volta no balcão e descasca no cara que atendeu ela. E o atendente, o melhor ator do filme inclusive, vira pra ela e fala: “relaxa hero, é só desinstalar o aplicativo”.

Mas o aplicativo é sobrenatural, das profundezas do inferno de Dante mano… lógico que ele não desinstala. A hero fica toda putinha e fala um monte pro cara e pega o celular de volta e vai embora. Ou seja, gastou uma puta grana à toa.

Em paralelo haviam 2 caras na fila para serem atendidos. Um deles é um reles coadjuvante sem utilidade real para a história a não ser completar espaço na tela para não ficar na cara o baixo orçamento do filme. O outro é nada mais nada menos que o novo personagem, o “sirvo para nada no filme”.

Sirvo Para Nada no Filme fica observando a briga entre Hero e Melhor Ator do Filme. Assim que hero vai embora, Sirvo Para Nada pergunta para Melhor Ator: “que aplicativo é esse mano?”

Corta a cena e hero entra no carro bravinha e quase da ré num energúmeno que passa atrás do carro. Energúmeno esbraveja e fica por isso mesmo. Hero vai arrancar com o carro, mas sente uma presença maligna dentro do carro. Eis que surgem duas mãos demoníacas atrás do banco dela que a agarram! Hero entra em desespero e acelera com tudo seu carro que ainda está engatado na ré (burra). O carro dá ré com tudo e bate em outro carro. Carro de quem? Do energúmeno!! Nisso o demônio some, pois tava só trolando a coitada. Hero abre a porta do carro e cai no chão com a cabeça em Júpiter. Nem sabia mais onde ela estava. O energúmeno fica putaaaaasso. Galera, ele fica MUITO puto. Xinga a hero de burra e os caraio. Mal sabe ele que nossa hero já tá toda cagada de medo!

Mas eis que surge Sirvo pra Nada no Filme e salva nossa hero. Até que ele serviu pra algo…
Sirvo pra Nada fala uma pá de merda pra Energúmeno e ameaça MATAR o cara… juro. Ameaça de morte…
O Energúmeno fica com medo e sai fora.

Sirvo pra Nada e hero se tornam amigos e descobrem algo em comum: ambos baixaram o mesmo aplicativo e ambos vão morrer em horários próximos. Unem suas forças e ficam juntos para tentar evitar a morte.

Daí pra frente aparece umas cenas que deixa claro que a hero tem problemas com a irmã mais nova que é rebelde e está prestes a entregar o estojinho para o primeiro zé droguinha que aparecer na frente, uma mãe que faleceu na juventude e um pai inútil e ausente que não tá nem aí pra nada. É tipo aqueles atores mexicanos do Chaves que completam as carteiras na sala de aula, mas não abrem a boca.

Determinado momento a irmã mais nova de heroq, Imbecil, resolve baixar também o aplicativo e descobre que vai morrer algumas horas antes da irmã mais velha kkkkk.

Daí completa-se o trenzinho destinado ao inferno seguindo a seguinte sequência: Sirvo pra Nada: primeiro a morrer, Imbecil: segunda a morrer, Hero: última a morrer.

Beleza… diante dessa situação o que sirvo pra Nada e hero fazem? Vão na igreja pedir conselhos para o padre! Porque padre e tecnologia possuída pelo diabo são carne e unha meus amigos…

O padre parece um dos anões da branca de neve…

Anão da branca de neve fala para Sirvo pra Nada e Hero que ele num manja dessas paradas tecnológicas possuídas pelo demo… e pega um post-it e anota o nome de um contato que ele diz que manja dos paranauê…

A dupla dinâmica fica fogosa e vai atrás desse contato. O que é estranho nesse momento é que esse contato é mais um padre que trabalha no período noturno na mesma igreja e que come hóstia direto do saquinho como se fosse fandangos. Cara é espetacular! É comédia! Desde a loja de celulares até o final, o filme vira uma comédia. E é engraçado! Não sei se foi sem querer ou não…

O Padre Hóstia sabor queijo fala pra dupla dinâmica que precisa saber o código do aplicativo para entender o terreno que ele está pisando. Quando eu digo o código, eu quero dizer a programação computacional feita para criar o aplicativo. Esse padre é fodido mano!

A dupla dinâmica pensa e chega na conclusão que a melhor pessoa para conseguir pegar o código  do aplicativo é o dono da loja de celulares, Melhor Ator do Filme. Sabe porque? Porque o cara ofereceu o celular “desbloqueado” para a hero quando ela foi lá na loja comprar um novo. O cara é hacker, manja pra caralho, poderia ganhar uma puta grana trabalhando numa multinacional, mas prefere vender celular numa loja suja e gastar seu salário com maconha. Tá certo…

A dupla dinâmica vai correndo pra loja que já está fechando, mas conseguem subornar o Melhor Ator do Filme para que ele hackeasse o aplicativo. Uau…

Melhor Ator descobre que o aplicativo tem 60 GB e que não faz sentido isso, afinal é só uma droga de um cronômetro que é zerado quando você morre. Investigando mais, Melhor Ator descobre que o aplicativo é gigante porque possui a base de dados de todas as pessoas do mundo com um cronômetro de vida para cada pessoa.

O que ele faz? Ctrl + F ou Ctrl + L (se for excel) e procura pelo nome da Hero, Sirvo pra Nada e Imbecil. E acha! Muito esperto e com usuário com privilégio para dar UPDATE em bases ele simplesmente altera o tempo de vida de cada um deles e queima na base!

Cara. O filme poderia ter acabado aí! Pronto! Final feliz!

Mas…. como eu já falei. O aplicativo é do demônio e o demônio manja de dar rollback… e nada disso adiantou e a dupla dinâmica perdeu grana no suborno e voltaram a estaca zero.

Desesperados voltam a falar com Hóstia sabor queijo. O padre olha o código do aplicativo no celular de Hero e descobre que se trata de uma maldição… maldição que pode ser quebrada se: matarem uma pessoa qualquer no lugar da pessoa que está para morrer ou sobreviver mais de um segundo do horário da morte informado pelo aplicativo, tendeu?

Ai Deus… já tá acabando…

Como ninguém quer matar alguém no lugar de si mesmo, a galera toda opta por tentar sobreviver 1 segundo a mais do horário dado pelo aplicativo, mesmo sabendo que o índice de sucesso para isso é de 0%!

Mas o padre hóstia tem uma biblioteca e tira um livro do cu que tem um desenho de um pentagrama de proteção onde nenhuma entidade maligna pode cruzar esse pentagrama. O pentagrama deve ser desenhado no chão com sal (bem supernatural). Sirvo pra Nada muito motivado afirma para o Sr. Hóstia: “mas e se bater um vento e afastar o sal vai abrir o círculo e a gente vai se foder”!

Hero muito inteligente acha duas latas de tinta feitas de titânio (É isso mesmo que vocês estão lendo) e da a sugestão: “e se colocarmos o sal dentro da tinta e pintarmos no chão?”. Uau que esperta!

Após fazerem o pentagrama, o demo aparece para matar Sirvo pra Nada no Filme. O demo tem uma fisionomia bacana e assustadora, mas tudo é mais do mesmo! O demo vê que não vai conseguir entrar dentro do círculo e muito esperto e sagaz ele se auto projeta na imagem do irmãozinho caçula de Sirvo pra Nada. O que vocês não sabem é que Sirvo pra Nada perdeu seu irmão mais novo no passado e ele se sentia culpado por isso. Sirvo pra Nada fica comovido em rever seu irmãozinho e resolve sair do círculo e acaba se fodendo. Não vou entrar em detalhes porque é uma estupidez após a outra.

Do grupo ficam sobrando Imbecil e Hero. Hero fica desesperada porque nada parece dar certo e sua irmã Imbecil é a próxima a morrer. Sendo assim ela pega a Imbecil que se machucou por causa do Sirvo pra Nada e leva no hospital onde ela trabalha, mas na verdade ela foi suspensa, pois o médico da equipe dela a acusou de assédio sexual, sendo que na verdade o escroto do médico é quem tentou assediar ela, mas hero se recusou!

Chegando no hospital, Hero encontra o Médico Escroto. Ela esta em desespero, olha para seu celular e sabe que seu tempo e o tempo de Imbecil estão acabando e ela precisa fazer alguma coisa. Daí ela pensa. Foda-se, vou matar o Escroto para anular a maldição da minha irmã Imbecil. Com essa ideia genial, e realmente achei a ideia boa, ela seduz o Escroto e o atrai para o lado do hospital em reforma. Lá ela da uma cacetada nas costas do Escroto com um pé de cabra. O cara cai no chão e ao invés de enfiar o pé de cabra no olho do cara ela resolve que tem que matar ele com uma injeção com uma super dose de morfina (burra de novo)…

Mas eis que de repente surge sua irmã Imbecil. Na boa, eu não sei como ela sabia que a irmã estaria naquele local, mas a essa altura do campeonato até o diretor devia tá de saco cheio desse filme e deixou o filho do roteirista terminar de vez com tudo…

Imbecil implora para Hero não matar Escroto. Escroto levanta correndo e foge. Hero desesperada pega a injeção de morfina e aplica em si mesma para se sacrificar por sua irmã e anular a maldição. Vira um chororô pra lá e pra cá e acaba que a Hero se mata,  anula a maldição e a Imbecil sobrevive.

Fim.

Zuera ainda não acabou não… Essa foi a segunda possibilidade de acabar o filme num final não tão embaraçoso… Mas galera, estamos falando de Hollywood! Santa Mônica boulevard. Filmes americanos ruins de terror tem que ter finais felizes onde o bem supera sempre o mal…

Sendo assim. Hero cai morta com uma dose de morfina para cavalo e sua irmã Imbecil deita em prantos ao lado de sua irmã, mas percebe que Hero, muito sagaz, escreveu em seu braço com um marcador permanente o nome de um remédio e um sinal de onde injetar esse remédio. O remédio cai do bolso de Hero quando ela cai morta no chão. A irmã Imbecil entende na hora o recado e pega o remédio e injeta no braço de Hero que acorda da morte por overdose de Morfina. E o demo de boa, nem voltou para se vingar… deixou por isso mesmo. Todos viveram felizes, menos o cara que não Servia pra Nada no Filme. Esse morreu mesmo. Tem final pior que esse? Alguém já viu?

Olha, eu sei que eu esculachei um pouco o filme, mas ele é o que eu chamo de um filme assistível. É bem filmado com uma qualidade de efeitos especiais razoáveis e tem bons momentos de risada, que tenho certeza que são propositais. Nessa questão vale a pena conferir.

Se eu reassistiria? Oh no! Pra mim são aqueles filmes para assistir só uma vez e fica por isso mesmo. Valeu a experiência, mas prefiro usar meu tempo para coisas mais interessantes.

Assisti esse filme no Amazon Prime. Inclusive o Prime está com um catálogo gigantesco de tudo que é tipo de filmes. Inclusive TERROR!!!!

Tá matando de pau a Netflix… A Netflix que se cuide, porque o catálogo do Prime tá BEM MELHOR.

Mas a Prime vai ter que se cuidar porque logo a Disney vai abrir sua própria plataforma, daí muitas coisas boas que existem no prime, bye bye amiguinho. E eu não vou assinar 3 plataformas. Vou ter que escolher no máximo duas… e acredito que muitos pessoas só vão querer uma… vamos ver como será o futuro.

Por fim, se me perguntassem quantas “estrelas” eu daria para esse filme (onde 1 é uma merda e 5 é o melhor filme do mundo) eu daria 2,5 estrelas. Mas é o meu gosto e minha avaliação!

Espero que curtam essa história recontada da minha maneira!

Comentem, curtam. Vamos trocar uma ideia!

Um grande abraço a todos e até a próxima!

Bruce Clark.

Um comentário em “COUNTDOWN – A HORA DA SUA MORTE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s